1 de Novembro de 2014
Pesquisar
Alertas SMS
Subscreva o serviço gratuito
A minha rua
Freguesia de Triana
Camarnal, Porto da Luz, Albarróis, Cheganças, Carapinha, Monte do Pedregal
 
    Orago, Nossa Senhora da Assunção. Em meados do século XVIII pertenciam-lhe os lugares de Camarnal, Torre Derribada e Monte de Loios.

    Anexou, antes de 1840, a paróquia da Várzea (Nossa Senhora da Purificação), à qual pertenciam, na mesma data, os lugares de Moita, Porto e parte do de Pancas.

    Tem uma área de 33,86 km². Confronta a norte com a freguesia de Ota; a sul com a freguesia de Santo Estevão; a nascente com o concelho de Azambuja e a poente com a freguesia de Meca.

Bandeira e armas »
 
 
 
Camarnal 


Camarnal, vista geral

    Já tinha esta designação em 1497. 

    Lucas de Orta, tabelião em Alenquer em 1614, morava numa quinta que possuía próxima do lugar do Camarnal. Com esta confinava a Quinta dos Pinheiros, por ele aforada em 1606.

    Zona de ocupação muito remota, foi parcialmente explorada por Hipólito Cabaço, por 1935, que deixou praticamente inéditos os concheiros do Casal do Alvarinho, do Casal do Concelho e do Casal da Prata.

    No Casal do Alvarinho já se encontrara, em finais do século XIX, um “tesouro” de moedas republicanas romanas.

    Aqui se fundou, em 1963, a Sociedade Recreativa do Camarnal.
 
 
Porto da Luz

    Na Quinta do Porto de Nossa Senhora da Luz morava, em 1597, Francisco Dias, cónego da Sé de Coimbra, que em 24 de novembro daquele ano, na mesma quinta, por escritura que outorgou, fez instituição de vínculo. Já antes havia feito testamento pelo qual deixou por herdeiros Domingos da Fonseca e sua mulher Isabel Perestrela, de tudo quanto possuía, exceto a sua Quinta da Charneca e “as terras que cahem sobre o logar do Porto, isto é a terra da eira e a terra do chafariz”. Francisco Dias faleceu em 25 de novembro e a abertura do testamento foi no dia 26 do mesmo mês, embora o seu epitáfio (em S. Francisco), informe que faleceu em 1598.

    Os bens do vínculo instituído pelo cónego Francisco Dias estavam, em 1820, na posse de Francisco Maria de Vila-Lobos e Vasconcelos Cogominho Salema Barreto, de Montemor-o-novo. 

    Tem aqui a sua sede o Centro de Convívio do Porto da Luz e Pancas, fundado em 1987.

    Na Quinta da Taipa, limite deste lugar, foram achados, há algumas décadas, fragmentos de uma lápide com inscrição latina.
 
 
Albarróis

    Em 1986 entrou no Museu Municipal um instrumento polido, achado à superfície, atribuível ao período eneolítico. Até aqui, a zona de Albarróis não havia fornecido espólio desta época.
 
 
Cheganças

    Este lugar desenvolveu-se já tardiamente, a partir de um ou mais casais, e tomou o nome do Casal do Cheganças.

    Em 1972 fundou-se aqui a Sociedade Recreativa de Cheganças.
 
 
Carapinha

    Em 1588, Inês de Cobelos, era proprietária de uma quinta ou casal no termo da vila de Alenquer “que chama a Carapinha”.

    Na Quinta de São Paulo, próxima do atual lugar da Carapinha, se fundou em 1441 o Convento de S. Julião, de Paulistas.
 
 
Monte do Pedregal

    Pouco antes de 1940, Hipólito Cabaço localizou e explorou, neste monte fronteiro a Alenquer, uma estação eneolítica. Entre os objetos recolhidos encontram-se fragmentos de cacos diversos, um fragmento de machado polido, lascas de quartzite e de silex e polidores, além dos restos restos humanos que deram origem ao estudo de Leopoldina F. Paulo: “Restos humanos pré-históricos do Monte do Pedregal”, publicado no Congresso do Mundo Português, Lisboa, 1940.
 
Freguesias
e lugares
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2006 - 2014 © Câmara Municipal de Alenquer - Todos os Direitos Reservados

Projecto Co-Financiado  Promotor  Desenvolvimento
Acessibilidade [Alt + D seguido de ENTER] D  POS_Conhecimento
FEDER União Europeia
FEDER
Associação de Municípios do Oeste Makewise - Engenharia de Sistemas de Informação